quinta-feira, 14 de julho de 2022

RAQUEL DIZ QUE PAULO CÂMARA É OMISSO EM RELAÇÃO À POPULAÇÃO DE RUA E ELA DIZ QUE VAI FAZER DIFERENTE

Pré-candidata defende políticas públicas integradas e mostra o que fez em Caruaru




Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBGE mostrou que, em 2020, 1,1 milhão de pernambucanos estavam em situação de extrema pobreza, vivendo com renda inferior a R$ 155 por mês. Já o Mapa da Nova Pobreza, publicado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), apontou que Pernambuco é hoje um dos estados mais pobres do Brasil, onde mais da metade da população do Estado vive na pobreza (50,32%).

Para a pré-candidata ao governo, Raquel Lyra, a deterioração do mercado de trabalho, agravada pela pandemia, e a ineficácia de políticas públicas por parte do Governo do Estado, jogaram Pernambuco neste drama social e humano. “A face mais evidente disto está no crescimento da fome e da população em situação de rua”, lamenta Raquel, que assume o compromisso de colocar no centro das prioridades de sua futura gestão o combate às desigualdades sociais.

Raquel defende ações estruturadoras, como programas de qualificação profissional e a ampliação do investimento público, para estimular a geração de empregos, mas alerta que o estado tem a obrigação de atender, emergencialmente, os mais vulneráveis. Para a postulante, o Governo de Pernambuco tem sido omisso no cuidado à parcela crescente da população de rua. Ela defende políticas públicas integradas, com o atendimento em várias dimensões, do suporte às necessidades mais básicas até ações que mudem verdadeiramente a vida dessas pessoas.

Prefeita eleita e reeleita de Caruaru, Raquel diz que teve a oportunidade de realizar ações muito importantes na política de acolhimento à população em situação de rua, oferecendo a essas pessoas o direito a uma vida mais digna. Foram iniciativas como o Espaço de Acolhimento Emergencial para Adultos e Famílias em Situação de Rua e duas Casas de Passagem. “O trabalho deu certo em Caruaru porque mudou a vida das pessoas, e dará certo também no estado. Esse é um compromisso que assumo com os pernambucanos”, afirma.

Um dos programas na área da ação social já anunciado por Raquel e que também terá como foco o atendimento à população de rua é o Bom Prato Pernambucano. O programa oferecerá alimentação de qualidade, com alto valor nutritivo, em todas as regiões de Pernambuco. “É preciso uma ação estruturadora, de segurança alimentar, que atenda a essas pessoas com dignidade”, afirma. O Bom Prato Pernambucano terá restaurantes populares móveis e fixos em todas as regiões do estado.

Exemplo de Caruaru - Durante a sua gestão em Caruaru, Raquel trabalhou para assegurar direitos básicos à população. Através da oferta da Política de Assistência Social, entre janeiro 2017 e março de 2022, foram realizados 456.234 atendimentos nos dez Cras e nos dois Creas do município, dos quais 83.704 por meio de visitas domiciliares, visando à prevenção da ocorrência de situações de vulnerabilidade social e risco nos territórios e fortalecimento do trabalho social com famílias e indivíduos em situação de risco pessoal e social por violação de direitos.

Ainda durante a sua gestão, a rede socioassistencial foi fortalecida e ampliada com a abertura de novos Centros de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, pontos descentralizados de atendimento do CADÚnico, facilitando o acesso aos serviços de assistência. Foi dada uma maior visibilidade à população em situação de rua através dos atendimentos pelos serviços de referência, como o Centro Pop. Também foi criado um novo Acolhimento Institucional para Pessoas em Situação de Rua, dobrando a capacidade de oferta por parte do município, e servidas 500 refeições por dia para essas pessoas.

Foto: Janaina Pepeu