sexta-feira, 15 de outubro de 2021

VOCÊ SABE USAR UM "T" CORRETAMENTE?





Se você precisa utilizar vários equipamentos em sua casa ao mesmo tempo, mas só conta com uma tomada disponível, o que você faz? Embora a solução ideal seja contratar um eletricista para instalar tomadas novas na residência, a saída mais prática e adotada em grande parte dos lares brasileiros é o uso do benjamin – apetrecho também conhecido como T, devido ao seu formato. Apesar de sua utilização ser autorizada pela legislação brasileira, o especialista técnico em Elétrica, Frederico Cezar, alerta que o uso incorreto desses adaptadores pode acarretar em problemas, como a perda de equipamentos e, em casos extremos, provocar incêndios.

Segundo o especialista, as tomadas residenciais são projetadas para suportar uma corrente determinada – normalmente, 10 amperes ou, em casos específicos, 20 amperes. “Quando colocamos um benjamin na tomada e conectamos mais equipamentos em um único ponto, é possível que, eventualmente, o limite de utilização que aquela tomada suporta seja ultrapassado”, pontua o engenheiro elétrico. Para evitar o risco de aquecimentos e curtos-circuitos, é importante observar e somar as informações que estão escritas nos equipamentos acerca da corrente elétrica por ele utilizada.




Vale ressaltar que o excesso de equipamentos também pode provocar o aquecimento dos cabos elétricos. “E isso não atinge apenas a tomada, mas toda a fiação, chegando até o quadro de distribuição”, comenta o especialista. Para evitar esse superaquecimento – que além de ser perigoso, também pode aumentar o consumo de energia – o especialista ainda orienta que não haja sobreposição no uso dos Ts.

Todas essas orientações são válidas, também, para o uso de extensões. Para ter ainda mais segurança, o consumidor pode optar pela aquisição de um filtro de linha, que conta com um sistema de proteção interno capaz de evitar danos aos equipamentos e curtos-circuitos. “Com o filtro de linha, você nunca irá ultrapassar o total de 10 ou 20 amperes, porque o dispositivo de proteção atua desativando o sistema. Essa é sua vantagem”, detalha. Por fim, o especialista lembra que, seja qual for o equipamento, é preciso que o consumidor observe se ele atende a todos os requisitos exigidos pelas normas brasileiras.