quarta-feira, 19 de maio de 2021

FUNASE SUSPENDE VISITAS PRESENCIAIS EM UNIDADES DO AGRESTE




Medida acompanha decreto estadual que estabelece normas mais restritivas em regionais de saúde que têm Caruaru e Garanhuns como sedes

Em cumprimento às medidas restritivas implantadas em 53 municípios do Agreste de Pernambuco, a Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), ligada à Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), determinou a suspensão das visitas presenciais em três unidades socioeducativas situadas na região. A decisão vale até 31 de maio e segue o período de vigência do Decreto Estadual 50.724/2021, que trata do assunto. O objetivo é evitar a propagação do novo coronavírus nos espaços de privação ou restrição de liberdade, resguardando a saúde dos adolescentes e jovens atendidos e dos servidores da instituição.

As medidas valem para o Centro de Internação Provisória (Cenip) e para o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) situados em Caruaru e para o Case/Cenip Garanhuns, unidade que realiza, de forma integrada, atendimentos de internação e de internação provisória. Cerca de 170 adolescentes e jovens estão nessas instalações. Nesses dois municípios, a Funase também dispõe de Casas de Semiliberdade (Casem), mas esses espaços normalmente já não recebem visitas de familiares de socioeducandos porque, nesse regime de atendimento, os adolescentes têm direito de passar fins de semana e feriados em suas residências.

O secretário de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco, Sileno Guedes, reforça que, mais uma vez, faz-se necessária a adoção de medidas mais restritivas no sistema socioeducativo como forma de seguir os decretos estaduais. “Desde o primeiro momento da pandemia, buscamos acompanhar as orientações gerais e repercuti-las dentro das unidades de atendimento aos adolescentes, em busca de preservar a saúde desse público e dos servidores que lá atuam. Agora, no Agreste, suspendemos novamente o acesso de visitantes de forma temporária, intensificando, como ocorreu antes, o contato por videochamadas”, explica.

Em outras 12 unidades da Funase, as visitas presenciais seguem liberadas nesse período, mas com observância às restrições e cuidados que já estavam em vigor. “Na Região Metropolitana, na Zona da Mata e no Sertão, só é liberado o acesso de um visitante por socioeducando, em dias e horários acertados pela equipe técnica de referência e pela direção de cada unidade junto às famílias. O uso de máscaras é obrigatório não só na entrada, mas também dentro das unidades, por adolescentes, servidores e familiares. Esses cuidados são essenciais nesse processo de convivência com a Covid-19”, afirma a presidente da Funase, Nadja Alencar.