quinta-feira, 23 de abril de 2020

PROTOCOLO DE CONDUTA PARA CASOS SUSPEITOS DE COVID-19 EM CARUARU


A Secretaria de Saúde de Caruaru, buscando auxiliar o trabalho da imprensa do município em matérias e denúncias sobre os protocolos de conduta com relação aos casos suspeitos e óbitos de Covid-19, esclarece que:

Considerando o caráter pandêmico da infecção pelo Covid-19 declarado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e seu alto grau de transmissibilidade, o Ministério da Saúde recomendou algumas condutas e protocolos para os casos suspeitos do novo coronavírus. 

As pessoas com sintomas leves, como coriza e febre, devem permanecer em observação em casa. Quando apresentar coriza, febre e tosse deve buscar uma unidade básica de saúde para os primeiros atendimentos. Em caso destes sintomas, acompanhados de falta ar, a pessoa deve buscar a UPA Respiratória.

Casos leves devem ser manejados com medidas não-farmacológicas como repouso, hidratação, alimentação adequada, além de analgésicos e antitérmicos e isolamento domiciliar por 14 dias a contar da data de início dos sintomas. A Secretaria de Saúde, através da Vigilância Epidemiológica, realiza o acompanhamento por telefone durante todo o cuidado doméstico do paciente até a o fim do período de isolamento.

Para os casos em que o paciente busca a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), recomenda-se que apenas o caso suspeito entre no serviço (exceto menores de idade, portadores de necessidades especiais e idosos) para avaliação. A depender dos sinais e sintomas, o paciente será isolado para receber o atendimento.

Os testes de swab serão realizados apenas em pacientes graves ou óbitos com suspeita de Covid-19 e também nos profissionais de saúde. O material dos testes é coletado nas UPAS, encaminhado para o Laboratório Central (Lacen) e o resultado sai entre 72 horas e sete dias.

Em caso de óbitos, o Ministério da Saúde publicou um Guia para o Manejo de Corpos com recomendações de como devem ser realizados os funerais e o manuseio do cadáver nos hospitais, em domicílio e em espaço público. 

O documento serve para orientar as equipes de saúde, de medicina legal e funerárias. De acordo com o protocolo, os falecidos, devido ao novo coronavírus, podem ser enterrados ou cremados, mas os velórios e funerais de pacientes confirmados ou suspeitos da doença, não são recomendados. Neste caso, o risco de transmissão também está associado ao contato entre familiares e amigos.

A cerimônia de sepultamento deve ocorrer em lugares ventilados e, de preferência, abertos. A recomendação é de que, no máximo, 10 pessoas participem, respeitando a distância mínima de, pelo menos, dois metros entre elas, assim como as outras medidas de isolamento social e de etiqueta respiratória.

Durante todo o velório o caixão deve permanecer fechado para evitar qualquer contato com o corpo. O protocolo recomenda ainda que seja evitada a permanência de pessoas que pertençam ao grupo de risco: maiores de 60 anos, gestantes, lactantes, portadores de doenças crônicas e imunodeprimidos. Além disso, a presença de pessoas com sintomas respiratórios também deve ser evitada como, por exemplo, febre e tosse.

Quem é Adriano Luiz?

Minha foto
Caruaru, PE, Brazil
Radialista desde abril de 2004. Locutor na Rádio Liberdade FM 94,7 de Caruaru-PE. Facebook, Twitter e Instagram: @adrianoluizloc